Tecnologias de Produção « KNOW NOW // Conhecimento e Inovação
Know Now

Tecnologias de Produção

A indústria transformadora tem vindo a definir um conjunto de apostas que vão desde o desenvolvimento de novos produtos (materiais, design, etc.) à integração destes com o serviço (extended products), passando igualmente pela capacidade de resposta rápida, flexível e eficiente ao nível das operações. O impacto ambiental e a eficiência energética são outros dois vectores de muita importância para o futuro desta indústria.

Todas estas apostas implicam transformações significativas quer seja por exigir a utilização de novas ferramentas e tecnologias de suporte quer seja nos modelos, nos métodos de gestão, nos processos, etc. Para além deste aspecto, grande parte destas tecnologias são horizontais e, por conseguinte, aplicáveis a diversos sectores. Isto faz com que o desenvolvimento destas apostas seja realizado num ambiente transversal multi-sectorial.

Esta necessidade de transformação torna-se imperativa não só nacional como internacionalmente pelo que não é uma especificidade apenas portuguesa.

Procura-se com estas apostas, o aumento da produção nacional de tecnologia para a indústria bem como incrementar a dimensão dos sectores envolvidos, assim como do seu grau de internacionalização. Só assim se conseguirá aumentar a competitividade da indústria nacional, aumentar o investimento privado em I&D e inovação e, consequentemente, reforçar a presença em mercados internacionais.


Caracterização

Sustentado em processos de inovação, internacionalização e (sobretudo) de cooperação, o Pólo das Tecnologias de Produção – PRODUTECH tem como missão fundamental promover o desenvolvimento sustentável da fileira nacional das tecnologias de produção – fabricantes de máquinas, equipamentos e sistemas, integradores de sistemas, empresas de desenvolvimento de aplicações informáticas, empresas de engenharia, entre outros. Aposta em estratégias e iniciativas de eficiência colectiva que visem a inovação, a qualificação e a modernização das empresas produtoras e utilizadoras de tecnologias para a produção, fomentando de forma sustentada a sua competitividade global.

Em que:

  • Cooperação – esta é a principal imagem de marca desta iniciativa, englobando:
    • Novas formas de cooperação entre as empresas produtoras de tecnologia;
    • Cooperação entre empresas produtoras e utilizadores dos principais sectores industriais portugueses;
    • Cooperação entre empresas e entidades do STCN.
  • Internacionalização – que engloba os seguintes pontos:
    • A internacionalização das actividades comerciais das empresas;
    • A internacionalização das suas redes de cooperação;
    • A internacionalização das suas fontes de tecnologia e conhecimento.
  • Inovação – envolve um conjunto integrado de projectos e acções que visam assegurar uma vantagem competitiva e médio prazo, não descurando as necessidades de curto prazo.

Este Pólo procura actuar a montante e a jusante, estabelecendo ainda parcerias com o SCN – Sistema Científico Nacional.É da estreita cooperação entre fornecedores de tecnologia, os utilizadores e o SCN que se desenvolve o sector das tecnologias de produção. A estes três conjuntos surge igualmente interligado um outro que é constituído pelos fornecedores dos denominados serviços de suporte.

É através da cooperação e do trabalho em rede por parte de todos os agentes envolvidos que se procurará aumentar a competitividade e a produção nacional de tecnologia para a indústria. Consequentemente, advirá o aumento da dimensão dos sectores envolvidos (desenvolvimento das empresas existentes e criação de novas empresas) e o grau de internacionalização dos mesmos.

A actividade deste cluster tem os seguintes objectivos:

  • Promover, dinamizar ou apoiar iniciativas e projectos que valorizem a cooperação entre as empresas que produzem tecnologias para produção e entre estas e as empresas e outras entidades relevantes dos sectores utilizadores, promovidos pela associação, pelos seus associados ou por outras entidades, a nível nacional ou internacional, desde que se insiram no âmbito de actividade da Associação;
  • Promover a imagem e a valorização das empresas produtoras de tecnologias para a produção e dos respectivos sectores;
  • Fomentar a investigação, o desenvolvimento, a inovação e troca de constante de ideias, experiências e projectos nas empresas e sectores referidos no primeiro ponto;
  • Estabelecer contactos privilegiados com instituições de ensino superior, unidades de investigação, instituições de I&D de interface, centros tecnológicos e outros organismos públicos ou privados, bem como, com associações congéneres, nacionais ou não, tendo em vista a prossecução das finalidades da PRODUTECH;
  • Prestar serviços aos associados e às entidades contribuintes e criar e administrar fundos em seu benefício;
  • Promover actividades de informação, disseminação e debate, nomeadamente conferências, workshops e workshops, assim como a produção de documentação e estudos, quer para os seus associados, quer para o público em geral.
  • Cooperar com os poderes públicos e com outras associações, com vista à realização de iniciativas de interesse conjunto;
  • Exercer as demais atribuições necessárias ou convenientes à prossecução do seu fim que não sejam expressamente vedadas por lei.

Quem o constitui?

Fornecedores de tecnologia – Máquinas, Equipamentos e Sistemas:

  • CEI;
  • Azevedos;
  • FREZITE – Ferramentas de Corte, S.A;
  • ADIRA S.A;
  • LIREL – Lima e Resende, Lda.;
  • TEGOPI – Indústria Metalomecânica S.A;
  • M. J. Amaral;
  • ARSOPI – Indústrias Metalúrgicas Arlindo S. Pinho, S.A;
  • SERI – Sociedade de Estudos e Realizações Industriais, Lda.;
  • M De Máquina;
  • Kaizen Institute Consulting Group;
    • Microprocessador;
    • Efacec Automação e Robótica, S.A;

Fornecedores de Tecnologia – Tecnologias e Informação:

  • SOFTI9 – Inovação Informática;
  • Critical Software;
  • SISTRADE – Sistema Integrado de Gestão Empresarial;
  • Vanguarda;
  • MIIT;
  • CIMSOFT – Tecnologias de Informação;
  • WIDE SCOPE;
  • Phc Software;
  • Rigor-P;
  • Oficina de Soluções de Informática;
  • Inforlândia;
  • René Guimarães;
  • Egitron;
  • Infos;
  • MyPartner.

Fornecedores de Tecnologia – Entidades Sectoriais:

  • CATIM – Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica;
  • AIMMAP – Associação dos Industrias Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal;
  • ANEMM – Associação Nacional das Empresas Metalúrgicas e Electromecânicas;
  • ANETIE – Associação Nacional das Empresas de Tecnologias de Informação e Electrónica
  • CENFIM – Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica.

Utilizadores Finais – Empresas:

  • SONAE Indústria;
  • Idepa;
  • Colep CCL;
  • Ferreira Marques & Irmão;
  • F. Ramada;
  • Kyaia;
  • J. Sampaio & Irmão;
  • Metalúrgica Luso Italiana;
  • Petrotec;
  • Silampos;
  • Waldemar Fernandes da Silva

Outras entidades:

  • AEP;
  • RECET – Rede dos Centros Tecnológicos;
  • Fórum Manufuture Portugal;
  • Select Recursos Humanos.

Onde está?

O centro de gravidade deste Pólo localiza-se no Grande Porto, existindo no entanto bases industriais em Entre Douro e Vouga.


Centros de Saber

Os Centros de Saber e Tecnológicos que integram o Pólo são:

  • CATIM – Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica
  • CENI – Centro de Investigação e Inovação de Processos Associação de I&D;
  • CENTIMFE – Centro Tecnológico da Indústria de Moldes, Ferramentas Especiais e Plásticos;
  • CEVALOR – Centro Tecnológico para o Aproveitamento e Valorização das Rochas Ornamentais e Industriais;
  • CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal;
  • CTCOR – Centro Tecnológico da Cortiça;
  • CTCP – Centro Tecnológico do Calçado de Portugal;
  • CTCV -Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro;
  • CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro;
  • IDMEC – Instituto de Engenharia Mecânica – Pólo IST;
  • IEETA – Instituto de Engenharia Electrónica e Telemática de Aveiro;
  • INEGI – Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial;
  • INESC – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores;
  • PIEP – Associação Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros;
  • UNINOVA – Faculdade de Ciências e Tecnologia / Universidade Nova de Lisboa;
  • IDMEC – Instituto de Engenharia Mecânica (Pólo da FEUP);
  • ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade.

Perspectivas de Desenvolvimento

O plano de actuação definido para o Pólo das Tecnologias de Produção assenta na concretização de determinados resultados dos quais se destacam:

  • Reforço da colaboração e cooperação entre empresas e entre estas e as entidades do SCTN;
  • Aumentar a competitividade e o valor acrescentado das empresas através da utilização das tecnologias;
  • Melhoria do saldo das transacções externas através da diminuição de importações e do aumento das exportações de tecnologia;
  • Aposta reforçada no desenvolvimento e comercialização, nos mercados nacional e internacional, de novos produtos e serviços tecnologicamente avançados;
  • Aumento do investimento privado em actividades de I&DT;

Para a gestão e dinamização do cluster nos próximos

Tecnologias de Produção

Entidade Gestora

PRODUTECH – Associação para as Tecnologias de Produção Sustentável

Endereço

Rua dos Plátanos, nº 197
4100-414 Porto

Web

www.produtech.org

Contactos

Tel: (+351)  22 6166860
Fax: (+351)  22 6107473