Universidade do Porto

Tecnologias de Informação

Um número crescente de empresas portuguesas de alta tecnologia como por ex: a Altitude Software, Number Five, Critical Software, Outsystems, Siscog, Skysoft, YDreams, ISA e outras, estão através dos seus novos talentos a desenvolver negócios internacionais bem sucedidos, assentes no desenvolvimento de soluções de software inovadoras para problemas complexos.

AICEP

Vivemos numa época marcada pelo rápido desenvolvimento das tecnologias de informação e de comunicação, com acesso a redes e mercados globais e que tem permitido avanços em múltiplos sectores [...]


Caracterização

A criação do Pólo de Competitividade e Tecnologia das Indústrias da Refinação, Petroquímica e Refinação Industrial, teve como propósito desenvolver os agentes nele presentes tendo em vista tornar Portugal uma referência a nível mundial nestas áreas. Este Pólo organiza-se em torno de dois centros distintos (Matosinhos/Estarreja e Sines) que, apesar de tudo continuam a demonstrar um nível de integração insuficiente que o Pólo visa melhorar.

De entre os objectivos que levaram à sua criação, importa destacar três que servem de linha [...]


A indústria transformadora tem vindo a definir um conjunto de apostas que vão desde o desenvolvimento de novos produtos (materiais, design, etc.) à integração destes com o serviço (extended products), passando igualmente pela capacidade de resposta rápida, flexível e eficiente ao nível das operações. O impacto ambiental e a eficiência energética são outros dois vectores de muita importância para o futuro desta indústria.

Todas estas apostas implicam transformações significativas quer seja por exigir a utilização de novas ferramentas e tecnologias de [...]


Caracterização

As palavras “sustentabilidade” e “inovação” representam a base deste agrupamento de instituições de diverso cariz. Estes temas entendidos enquanto factores dinâmicos e transversais deram o mote para a criação, em Julho de 2009, de um conjunto que agrega empresas, associações, entidades científicas, parques tecnológicos, incubadoras e autarquias.

O núcleo dinamizador da proposta que deu origem a esta estratégia de Eficiência Colectiva centrou-se em três instituições:

CTCV – Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro;
ITECons – Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em [...]


Caracterização

Criado por vontade da ADVID – Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense, o Cluster visa o reconhecimento da vitivinicultura Duriense de modo a dinamizar e modernizar o sector. Procura potenciar a economia da Região, contribuindo para a redução de custos no cultivo em encosta, optimização económica de tratamentos e fertilizações, formação profissional para o sector, avaliação anula das práticas e estratégias de produção e reconhecimento público das competências técnica e científica do sector e da região.

Os objectivos operacionais aos [...]


Portugal encontra-se num local privilegiado para fazer do mar um dos recursos fundamentais de desenvolvimento da nossa economia, dispondo de uma das maiores Zonas Económicas Exclusivas (ZEE) da Europa, com mais de 1.700.00 km2, o correspondente a aproximadamente 18 vezes a sua dimensão terrestre. A sua ligação ao mar advém da época dos Descobrimentos e Portugal goza de uma reputação internacional de país marítimo com ideias e acções próprias, sendo um contribuidor activo para a Agenda Global dos Oceanos.

A Estratégia [...]


Actualmente, a floresta portuguesa ocupa aproximadamente 38,4% da superfície de Portugal Continental. Sendo um sector pouco debatido e consequentemente mal conhecido pela generalidade, a floresta sustentável apresenta no entanto uma contribuição inegável para o bem-estar da população. De acordo com dados de 2009, as indústrias de base florestal têm um impacto muito significativo na economia portuguesa, representado em 2009 cerca de 3.498 milhões de euros de exportações, perfazendo 9,4% do total a nível nacional. Destes valores, o sector da pasta [...]


No sentido de promover a imagem e valorizar a fileira da moda, os sectores têxtil, vestuário, calçado e ourivesaria juntaram-se para dinamizar este sector. Um dos denominados “Sectores Tradicionais” da Região Norte é o sector da moda, nomeadamente os relacionados com o “vestir” e com o “usar”, agregando portanto as áreas do têxtil, vestuário, calçado e ourivesaria.

A visão que dá origem a esta agregação resulta fundamentalmente do objectivo de intensificar a dimensão tecnológica destas áreas por um lado e, por [...]